CB 500 - Potência que ainda encanta

Recebi alguns e-mails com varias duvidas sobre a CB 500, embora a moto da Honda não seja mais fabricada ela ainda encanta pela sua robustez.

A CB 500 começou a ser fabricada em 1998, um bicilindrica de média cilindrada, teve o principal objetivo de substituir a CB 450 DX, que saiu de linha em 1994.


A CB 500 “CBZONA” teve um grande sucesso, apesar de ter sua produção encerrada em 2004, a Honda produziu uma serie limitada da moto em 2005. Ao contrário da sua antecessora, a CB 500 possui um moderno motor de 498,8 cm³ com 54 cv de potência a 9.500 rpm e 4,5 kgm de torque a 8.000 rpm. Já a alimentação é feita por meio de um par de carburadores a vácuo.

Desde o começo as motocicletas Honda dotadas da sigla CB marcaram época e consolidaram robustez. Com a CB 500 não foi diferente, pois ela é durável e resistente. Outro atrativo é o seu desempenho: acelera de 0 a 100 Km/h em 4,7 s e atinge a velocidade máxima acima de 170 km/h.

As principais vantagens da CB são baixo índice de manutenção, boa aceitação na revenda, acabamento, facilidade de pilotar na cidade ou na estrada e conforto. Perante a concorrência, o ponto forte é o motor com cabeçote do tipo DOHC, com quatro válvulas, que proporciona uma performance superior, e câmbio de seis marchas.

Pontos negativos:

Na CB, faz falta um marcador de combustível no painel e uma suspensão traseira mais condizente com a motocicleta. A CB usa o sistema biamortecido, já ultrapassado no mercado. Este item fraco compromete a ciclística da moto, principalmente nas curvas de alta velocidade.

O preço das peças de reposição é muito alto. Estão na lista negra itens que envolvem a manutenção preventiva, como pastilha de freio, filtro de ar, discos e relação corrente, coroa e pinhão.

Com um peso em ordem de marcha de 173 kg, a Honda tem um peso acima da média da categoria a que pertence. Desde o seu lançamento a CBzona não recebeu nenhuma atualização; a marca japonesa apenas modificou cores e gráficos.

Quando o motor da CB 500 fica muito ruidoso, é necessário ajustar a folga das válvulas, uma manutenção que exige mão de obra especializada. Apesar de o serviço não ser tão freqüente, o custo é alto devido à complexidade e à necessidade de substituir as pastilhas. Elas são as responsáveis por eliminar a folga e, conseqüentemente, o ruído das válvulas batendo. Outra notícia ruim é a preferência dos ladrões por ela.

Para acertar na hora da compra

A moto tem muito motor. Por isso, é importante que discos de freios e pastilhas estejam impecáveis. Verifique, principalmente, se foram utilizadas peças originais. Veja como estão as suspensões. Qualquer vazamento suspeito é sinal de dor de cabeça. O alinhamento do chassi com as rodas também é importante. Afinal, qualquer falha compromete a estabilidade da motocicleta.

Os pneus da CB são feitos para rodar em ruas. Logo, eles devem estar sempre novos. Se os sulcos estiverem rasos, sua aderência se perde, algo muito importante de evitar devido ao peso elevado da moto.

Como de praxe em todos os modelos, é essencial que o comprador receba um histórico das revisões preventivas, que são apurados no manual do proprietário por meio dos carimbos de cada serviço efetuado. Vale lembrar que peças genuínas valorizam a motocicleta e prolongam a sua vida útil.

A CB tem uma forte aceitação por preparadores. Fuja de qualquer tipo de adaptação, como carenagens, escapes e malas. CB mexida é a pior coisa que alguém pode ter na garagem.

Mande sua sugestão pelo e-mail: linemoto@hotmail.com

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

© Line Motos | Tudo Sobre Motos

Desenvolvido por: Open Master